Nossos Contatos

(21) 3899-8805 | (21) 99292-7786

[email protected]

Atendimento: 8h às 18h

Segurança corporativa: o que é e como estruturar na empresa?

Ao longo do tempo, as sociedades evoluem e os fatores que interferem na produtividade das empresas se modificam. Isso é natural e esperado, afinal, cada vez surgem novas necessidades e desafios mais complexos.

Na contemporaneidade, os dados têm se tornado ativos cada vez mais valiosos para as organizações; isso demanda ações específicas visando proteger essas informações, assim como todos os demais bens da corporação.  É aí que entra a segurança corporativa!

Mas você sabe o que significa esse conceito e qual é sua importância para as empresas? Neste artigo, tiramos essas dúvidas e ainda explicamos como estruturar a segurança corporativa. Confira!

O que é segurança corporativa?

A área da segurança corporativa consiste em uma série de medidas tomadas com vistas a proteger os ativos de uma empresa contra qualquer ameaça. Seu principal objetivo é identificar, prevenir e combater tudo que represente algum tipo de risco à integridade da organização, incluindo seus clientes e colaboradores.

O conceito de segurança corporativa abrange a segurança patrimonial, mas não se resume a ela, pois, além de se preocupar com bens físicos e materiais, também se ocupa de dados, informações e a integridade física das pessoas. Assim, a segurança corporativa defende tanto os ativos tangíveis como os intangíveis, como veremos a seguir.

Ativos tangíveis

Os ativos tangíveis de uma corporação são todos os seus bens materiais, como: dinheiro, propriedades, imóveis, equipamentos e produtos. Trata-se daqueles itens de valor concreto, que podem ser perdidos ou danificados e, portanto, devem ser protegidos.

Ativos intangíveis

Os ativos intangíveis, por sua vez, são bens imateriais, não palpáveis. Apesar de terem grande valor para o negócio, eles não têm uma forma física a ser protegida e, demandam medidas específicas para garantir sua segurança.

Dica: Entenda como funciona a gestão de segurança privada

Pilares da segurança corporativa:

A segurança corporativa é uma área bem abrangente e complexa. Como vimos anteriormente, ela contempla ativos tangíveis e intangíveis e, portanto, envolve várias medidas de segurança diferentes, de acordo com a natureza do bem que se quer proteger.

Segurança patrimonial

O pilar da segurança patrimonial é, por assim dizer, o mais tradicional no campo da segurança corporativa, e envolve medidas como vigilância, monitoramento 24 horas, sistemas de alarme, controle de acesso à instituição, entre outras ações preventivas.

Segurança da Informação

Nos dias atuais, a segurança da informação está se tornando cada vez mais urgente, já que se refere à proteção de dados confidenciais. Assim, esse campo da segurança corporativa visa a impedir o acesso ou uso indevido de dados de clientes e funcionários, informações sigilosas da empresa, formulários, entre outros materiais restritos.

Governança corporativa

A governança corporativa, ao contrário de outros pilares, não está relacionada exatamente a ações típicas da segurança corporativa. Na realidade, ela consiste em procedimentos e normas desenvolvidas especialmente para o ambiente da empresa, e está ligada ao modo como a organização controla e direciona seus processos internos e externos.

Gerenciamento de riscos

O gerenciamento de riscos é o pilar da segurança corporativa responsável por identificar, classificar e avaliar possíveis ameaças às quais as empresas estão sujeitas. Uma boa gestão desses riscos em potencial protege a companhia de situações que as desviem de suas metas e objetivos.

Gerenciamento de crise

Finalmente, o gerenciamento de crises se ocupa da preservação da imagem da empresa frente a escândalos, boatos ou situações que ameacem sua reputação e prejudiquem a maneira como a companhia é vista pelo público.

Uma boa gestão de crise deve lançar mão de tecnologias e recursos que permitam antecipar os problemas, agir na contenção de danos e solucionar as questões com eficiência e agilidade.  

Dica: Como um plano de segurança é elaborado?

Como estruturar a segurança corporativa?

A segurança corporativa é essencial para as operações da empresa. Hoje, com os avanços tecnológicos e a necessidade de proteger os dados e obedecer à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), essa área se tornou um verdadeiro diferencial.

Assim, as companhias que investem numa área de segurança corporativa bem estruturada contam com uma vantagem competitiva, já que são vistas pelo público como empresas confiáveis.

Estudar sobre a segurança corporativa

As iniciativas relacionadas à segurança corporativa devem tomar as medidas necessárias para a proteção dos ativos tangíveis e intangíveis de maneira estratégica, com base nas particularidades e necessidades do negócio.  

Para que isso seja possível, é importante estudar a fundo o tema e, com base nesse conhecimento profundo, tomar decisões mais acertadas. Para auxiliar nesses estudos, indicamos este guia de referência sobre segurança corporativa, elaborado pela OAB do estado de São Paulo. Vale a leitura!

Elaborar um planejamento

Para estruturar a segurança corporativa de uma maneira estratégica e efetiva, é fundamental desenvolver um bom planejamento. Esse planejamento bem fundamentado e documentado ajuda a afirmar os objetivos, as diretrizes e os próximos passos a serem seguidos para garantir a segurança.

Vale lembrar que não se deve engavetar o planejamento assim que as primeiras medidas forem implementadas! O ideal é revisá-lo de tempos em tempos, visando a fazer melhorias para que continue refletindo as necessidades da empresa.

Treinar os funcionários

Também é importante investir na capacitação dos funcionários, oferecendo treinamentos em segurança, boas práticas para evitar riscos e compliance. A importância da segurança corporativa deve ficar muito clara na cultura organizacional da empresa, já que é essencial para as operações.

Conhecer a Legislação com relação aos dados

Atualmente, grande parte dos processos de uma empresa passa pelo processamento de dados e, portanto, eles são um ativo precioso, que deve ser protegido com eficiência.

Como a preocupação com os dados é um grande fator de preocupação para as empresas, é importante estudar e se atualizar em relação à LGPD, garantindo que a organização atue em conformidade com as normas.

Aplicar as mais novas tecnologias

Além de conhecer a fundo as questões envolvendo o processamento e o armazenamento de dados, também é necessário se atualizar constantemente quanto às tendências da área de segurança eletrônica e digital, utilizando a tecnologia a favor da segurança corporativa.

Isso pode incluir a adoção de sistemas de monitoramento, alarme eletrônico, armazenamento em nuvem com controle de acesso, softwares de gestão integrada e outros sistemas capazes de otimizar a segurança da empresa.

Escolher bem a empresa de segurança patrimonial

A segurança patrimonial é essencial para garantir um ambiente de trabalho eficiente e produtivo, pois proporciona mais tranquilidade aos funcionários e prevenção contra riscos aos dispositivos digitais da empresa. Daí a necessidade de contar com os serviços de uma empresa especializada!

Porém, para defender os ativos da organização e proteger seus clientes, colaboradores e parceiros, é importante que a empresa de segurança contratada tenha boa reputação, experiência no mercado e conte com uma equipe altamente capacitada, como é o caso da Magna Vigilância!

A Magna utiliza tecnologia de ponta e os recursos mais avançados para oferecer um serviço de segurança privada eficiente para empresas. Quer conhecer melhor nossas soluções? Visite o nosso site e veja como atuamos para proteger o seu negócio! 

Gostou deste Artigo? Então compartilhe:

Share on facebook
Compartilhar no Facebook
Share on twitter
Compartilhar no Twitter
Share on linkedin
Compartilhar no Linkedin
Share on pinterest
Compartilhar no Pinterest

Deixe seu Comentário: